segunda-feira, 14 de março de 2011

saudade

Sou a terra no pneu do caminhão que grudada na borracha mata a saudade dos pés da Seringueira.

3 comentários:

Marinha disse...

Saudade da terra, do riso, do tempo em que a inocência nem sabia de sua própria existência!

Letícia Nunes disse...

Versos fortes para um dia que retrata a possibilidade de versar ambiciosamente sem leis...
Feliz dia da Poesia Poeta da Rima!!

Bjinhos

Emoções disse...

Belas poesias. Fica na paz.